Reação de Bolsonaro e Ernesto à invasão do Capitólio dificulta relação com Biden - Plataforma Media

Reação de Bolsonaro e Ernesto à invasão do Capitólio dificulta relação com Biden

No Itamaraty, diplomatas veem com frustração perspectivas do relacionamento futuro entre EUA e Brasil.

As declarações do presidente Jair Bolsonaro e do chanceler Ernesto Araújo sobre a invasão do Congresso americano devem trazer novos obstáculos para a relação do governo brasileiro com Joe Biden.

Na avaliação de interlocutores dos dois países ouvidos pela Folha, as falas dos brasileiros devem, num primeiro momento, reforçar a imagem que os democratas têm de Bolsonaro: um radical de extrema direita, imprevisível, fiel a Donald Trump e capaz de tomar decisões contrárias aos interesses do próprio país.
A longo prazo, a postura em um tema que desatou uma crise institucional nos EUA tem potencial de prejudicar tanto a interlocução entre os dois governos quanto parcerias estratégicas, principalmente se Bolsonaro insistir em antagonizar com Biden e continuar a se apresentar como o “Trump dos trópicos”.

Após as cenas de violência em Washington, na última quarta (6), quando uma multidão insuflada por Trump invadiu o Capitólio e suspendeu a sessão para certificar a vitória do democrata, Bolsonaro disse que é “ligado a Trump” e que houve “muita denúncia de fraude” no pleito americano. Também afirmou que “vamos ter problema pior que os Estados Unidos” se o Brasil não instituir o voto impresso para 2022.

Leia mais em Folha de S.Paulo

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Artigos relacionados
LifestyleMundo

Viveu três meses em aeroporto dos EUA porque tinha medo da covid-19

MundoPolítica

Melania Trump despede-se da Casa Branca com apelos ao amor e à paz

BrasilMundo

Com Biden, Bolsonaro tenta demonstrar força na Amazónia com menos tropas

BrasilPolítica

Com aprovação de vacina, Bolsonaro cai e Doria cresce em popularidade digital

Assine nossa Newsletter