Internautas chineses vingam-se e apontam a 'bela paisagem' do caos no Capitólio dos EUA - Plataforma Media

Internautas chineses vingam-se e apontam a ‘bela paisagem’ do caos no Capitólio dos EUA

A internet na China explodiu em alegria com a situação democrática dos Estados Unidos, depois de apoiadores do presidente Donald Trump invadirem o Capitólio dos EUA, comparando o caos aos protestos antigovernamentais de Hong Kong em 2019.

Na manhã de quinta-feira, o tablóide de comunicação estatal Global Times tuitou comparações de fotos lado a lado de manifestantes de Hong Kong ocupando o Complexo do Conselho Legislativo da cidade em julho de 2019 com os distúrbios de quarta-feira em Washington.

O Capitólio dos EUA foi vítima de fãs ferrenhos de Trump invadirem o Capitólio dos Estados Unidos para protestar contra a derrota da eleição, tirando selfies, provocando distúrbios com a segurança e ocupando partes do prédio.

“@SpeakerPelosi certa vez se referiu aos motins de Hong Kong como ‘uma bela paisagem de se ver'”, disse o Global Times no tweet, referindo-se ao comentário da presidente da Câmara, Nancy Pelosi, a junho de 2019, sobre as manifestações pró-democracia em Hong Kong, que foram principalmente pacíficas naquela altura.

“Ainda não se sabe se ela dirá o mesmo sobre os recentes acontecimentos no Capitólio.”

A Liga da Juventude Comunista da China também descreveu a agitação como uma “bela vista” na plataforma Weibo, semelhante ao Twitter.

A hashtag “Apoiadores de Trump invadem o Capitólio dos EUA” apareceu no Weibo na quinta-feira, obtendo 230 milhões de visualizações, enquanto os usuários comparavam o apoio global aos manifestantes de Hong Kong com a efusão de condenação à multidão pró-Trump.

“No momento, os líderes de todos os países europeus mostraram dois pesos e duas medidas e condenaram isso (distúrbios em Washington)”, diz um comentário do Weibo que ganhou mais de 5.000 gostos.

“Não sei que tipo de reportagem de padrão duplo será conduzida pela comunicação social de Hong Kong e Taiwan desta vez.”

“O que aconteceu no Conselho Legislativo de Hong Kong no ano passado está a repetir-se no Capitólio dos Estados Unidos”, escreveu outro internauta num comentário com mais de 4.500 gostos.

Embora as táticas tenham sido semelhantes, há diferenças gritantes nas causas e motivações dos dois ataques às legislaturas.

Os manifestantes de Hong Kong protestaram para exigir a democracia total e impedir um projeto de lei impopular que estava para ser aprovado pela liderança não eleita da cidade.

A semi-autónoma cidade chinesa não é uma democracia, o que já causou anos de protestos populares.

Desde então, a China respondeu com uma repressão, impondo uma lei de segurança severa à inquieta cidade de Hong Kong, prendendo dezenas de críticos e sufocando a dissidência.

Em contraste, aqueles que invadiram o Capitólio dos EUA estavam a tentar derrubar os resultados de uma eleição presidencial livre e justa.

O presidente eleito dos EUA, Joe Biden, disse que os manifestantes americanos estão a minar a democracia ao tentar contrariar a derrota de Trump nas eleições de novembro.

Este artigo está disponível em: English

Artigos relacionados
DesportoMundo

Campeão olímpico norte-americano acusado por invasão ao Capitólio

MundoPolítica

Chance de Trump perdoar a si mesmo ganha urgência na semana final

Política

Trump, a um passo de um segundo impeachment após o ataque ao Congresso dos EUA

MoçambiqueMundo

Cabo Delgado: EUA reitera apoio a Maputo após visita de subsecretário da Defesa

Assine nossa Newsletter