Hospitais atingem linha vermelha. Especialistas defendem confinamento - Plataforma Media

Hospitais atingem linha vermelha. Especialistas defendem confinamento

Balanço. Portugal ultrapassou a barreira dos dez mil casos esta quarta-feira, situação que vai ter um impacto brutal no SNS daqui a oito ou dez dias. ARS de Lisboa e Vale do Tejo diz que vai ter mais camas nas unidades militares. Especialistas defendem medidas severas para confinamento e avisam que a mortalidade pode agravar-se mais se os idosos não forem vacinados.

Portugal ultrapassou esta quarta-feira a barreira dos dez mil casos de covid-19. Um dos piores cenários traçados para a evolução da pandemia em Portugal. Os hospitais do país estão a atingir a linha vermelha dos planos de contingência. Em Coimbra, o Centro Hospitalar Universitário teve de suspender a atividade programada não urgente; na Guarda, o hospital atingiu o máximo dos internamentos; na capital, o Lisboa Central teve de enviar, no domingo, cinco doentes para o Algarve e outros cinco para a Cova da Beira, por falta de capacidade em internamento. A ministra já veio pedir a todas as unidades da Região de Lisboa e Vale do Tejo que elevem os planos de contingência para os níveis máximos.

O pedido foi enviado por e-mail à Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) após uma recomendação emitida pela Comissão de Acompanhamento da Resposta Nacional em Medicina Intensiva para a Covid-19 (CARNMI), que reuniu na terça-feira para analisar a situação epidemiológica e ocupação de camas a nível regional, explica o Ministério da Saúde em resposta ao DN. “Considerou-se necessário que os hospitais da região escalassem os seus planos de contingência para dar resposta a necessidades de internamento decorrentes de uma procura potencialmente crescente”, refere a notícia.

Leia mais em Diário de Notícias

Artigos relacionados
PortugalSociedade

Três detidos na última semana por desobediência a regras do confinamento

PortugalSociedade

Pré-catástrofe: "Ainda não estamos a escolher entre dois doentes, se nada for feito chegaremos lá."

PortugalSociedade

Governo português quer acabar com cafés ao postigo e admite reforço policial

Política

Marcelo diz que Governo não previu terceira vaga da pandemia

Assine nossa Newsletter