União Europeia denuncia condição de migrantes na Bósnia

União Europeia denuncia condição de migrantes na Bósnia

A vida de centenas de migrantes na fronteira da Bósnia com a União Europeia (UE) está em perigo e sua situação “é totalmente inaceitável”, denunciou neste sábado um representante especial europeu no país

Depois que um incêndio arrasou um acampamento próximo à cidade bósnia de Bihac, em 23 de dezembro, cerca de mil migrantes estão desabrigados em meio ao inverno bósnio. “A situação é totalmente inaceitável. A vida e os direitos fundamentais de centenas de pessoas estão seriamente em risco”, declarou o representante especial da UE na Bósnia, Johann Sattler, após se reunir com o ministro bósnio da Segurança, Selmo Cikotic, para discutir a situação.

O acampamento de Lipa foi abandonado no fim de dezembro pelas equipes da Organização Internacional para as Migrações (OIM), que consideraram que o mesmo não reunia condições para abrigar pessoas durante o inverno, uma vez que não contava com eletricidade ou água corrente. Em protesto, os migrantes incendiaram o local.

A OIM e a Comissão Europeia, que financia centros de acolhimento de migrantes na Bósnia, pediram a reabertura de outro centro em Bihac, mas autoridades locais e regionais não concordaram.

Cerca de 8,5 mil migrantes que sonham em se instalar na Europa ocidental encontram-se na Bósnia, onde 6 mil estrangeiros vivem em centros de acolhimento, enquanto de 2,5 mil a 3 mil sobrevivem sem abrigo, segundo a OIM.

Artigos relacionados
AngolaSociedade

Administração de Viana garante apoio aos ‘refugiados

AngolaSociedade

Refugiados angolanos regressam da Zâmbia

MundoPolítica

UE/Presidência: ACNUR pede liderança a Portugal na questão dos refugiados

Política

UE lamenta novas tarifas dos EUA a produtos europeus

Assine nossa Newsletter