Fernando Henrique Cardoso e Lula defendem Dilma de ataque de Bolsonaro - Plataforma Media

Fernando Henrique Cardoso e Lula defendem Dilma de ataque de Bolsonaro

Atual presidente duvidou que a antiga chefe de estado tenha sido torturada na ditadura militar. “Mostra o raio X”, disse, perante apoiantes. “Passa dos limites”, disse FHC. “Ela tem uma coragem que ela jamais terá”, disse o ex-sindicalista

Fernando Henrique Cardoso, presidente do Brasil de 1995 a 2002, e Lula da Silva, seu sucessor de 2003 a 2010, saíram em defesa de Dilma Rousseff na sequência de um ataque de Jair Bolsonaro à chefe de estado de 2010 a 2016.

O atual presidente disse, aos risos, num evento perante apoiantes duvidar que Dilma, que foi torturada em 1970 e esteve três anos presa, tenha fraturado a mandíbula na sequência da detenção. “Dizem que a Dilma foi torturada e fraturaram a mandíbula dela. Traz o raio X para a gente ver o calo ósseo. Olha que eu não sou médico, mas até hoje estou aguardando o raio X”, afirmou.

Leia mais em Diário de Notícias

Artigos relacionados
BrasilPolítica

Lula da Silva diz que testou positivo mas já recuperou da Covid-19

BrasilPolítica

Forças alternativas a Bolsonaro-Lula vão governar metade das capitais estaduais brasileiras

BrasilPolítica

Impasse sobre provas pode levar processo contra Lula à prescrição

BrasilPolítica

Defesa de Lula afirma não ter acesso a provas e vai ao STF para paralisar ação

Assine nossa Newsletter