Bolsonaro esvaziou órgãos que cuidam de questões ambientais, indígenas e agrárias - Plataforma Media

Bolsonaro esvaziou órgãos que cuidam de questões ambientais, indígenas e agrárias

Cumprindo promessas e indicativos que deu durante a campanha eleitoral de 2018 e em boa parte de sua carreira política, Jair Bolsonaro ampliou de forma expressiva em seus dois primeiros anos de governo um processo de desmonte e esvaziamento dos órgãos responsáveis por cuidar do meio ambiente e das questões indígena e agrária.

Como resultado, paralisia generalizada, embates internos, retrocessos, um ministro sob constante pressão para ser substituído —Ricardo Salles, do Meio Ambiente— e uma coleção de números negativos, o que, entre outras consequências, resultou em uma forte degradação da imagem do país no exterior.

Paralelamente à precarização da infraestrutura e redução de verbas do principal órgão fiscalizador, o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), o desmatamento e as queimadas deram um salto no país.

Leia mais em Folha de S.Paulo

Artigos relacionados
BrasilPolítica

Mourão faz balanço de ações na Amazónia e põe inovação nas prioridades

BrasilEconomia

AGU comemora resultados da Força-Tarefa em Defesa da Amazónia

BrasilSociedade

Yanomamis brasileiros alertam sobre forte tensão com garimpeiros ilegais

Assine nossa Newsletter