Prefeito do Rio fica em prisão domiciliária a aguardar julgamento - Plataforma Media

Prefeito do Rio fica em prisão domiciliária a aguardar julgamento

Marcelo Crivella tinha ficado em prisão preventiva na manhã de terça-feira por suspeita de ser o chefe de um grupo criminoso que criou um esquema de cobrança de propina na prefeitura. Mas o Supremo alterou a medida cautelar para prisão em casa com pulseira eletrónica

 presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), ministro Humberto Martins, revogou a prisão preventiva de Marcelo Crivella (Republicanos) e determinou a prisão domiciliar do político com uso de tornozeleira eletrônica.

Crivella foi afastado do comando da Prefeitura do Rio de Janeiro e preso preventivamente na manhã desta terça-feira (22), em operação da Polícia Civil e do MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) autorizada a pela desembargadora Rosa Helena Penna Macedo Guita.

Crivella é apontado como chefe do suposto grupo criminoso que teria instituído um esquema de cobrança de propina na prefeitura.

Além da prisão domiciliar, Martins proibiu Crivella de manter contato com terceiros e deverá entregar seus telefones e computadores às autoridades. Ele não poderá sair de casa sem autorização e está proibido de usar telefones.

Leia mais em Folha de S.Paulo

Artigos relacionados
BrasilSociedade

Prefeito do Rio de Janeiro usava IURD para lavar dinheiro

BrasilSociedade

Prefeito Marcelo Crivella é preso em casa no Rio de Janeiro

Assine nossa Newsletter