Presidente da Câmara do Porto arrisca perda de mandato no caso Selminho - Plataforma Media

Presidente da Câmara do Porto arrisca perda de mandato no caso Selminho

Ministério Público acusa Rui Moreira de prevaricação no âmbito de um negócio com empresa imobiliária da família. “Esta acusação é muito estranha, completamente descabida e infundada”, diz o autarca.

Rui Moreira, presidente da Câmara do Porto, confirmou esta sexta-feira que foi acusado pelo Ministério Público (MP) de um crime de prevaricação no âmbito do caso Selminho, empresa imobiliária da sua família, que tentou construir um edifício de apartamentos num terreno da escarpa da Arrábida que era, em parte, propriedade do município.

O Departamento de Investigação e Ação Penal Regional do Porto acusa Rui Moreira de ter cometido, em autoria material e na forma consumada, um crime de prevaricação, em concurso aparente com um crime de abuso de poderes. Este departamento do Ministério Público (MP) pretende que o autarca seja condenado na perda do seu mandato de autarca, invocando a lei das incompatibilidades e impedimentos dos titulares de cargos públicos.

“Esta acusação é muito estranha, tanto no conteúdo como no momento em que é deduzida, mas estou absolutamente tranquilo e não deixarei de tudo fazer para que sejam apuradas todas as responsabilidades”, defendeu o autarca, em resposta à agência Lusa.

Leia mais em Diário de Notícias

Assine nossa Newsletter