Sustentabilidade do transporte marítimo depende das pessoas

Sustentabilidade do transporte marítimo depende das pessoas

Um relatório publicado pela International Chamber of Shipping (ICS), intitulado “Diversity Tracker”, indica que “o transporte marítimo é o motor do comércio global, transportando mais de 90 por cento do comércio mundial em termos de tonelagem e possibilitando a movimentação de milhões de passageiros”. 

De acordo com o documento, “são essenciais pessoas devidamente qualificadas para garantir um transporte seguro, ecologicamente correto e eficiente”.

O relatório estima que mais de 1,6 milhões de pessoas trabalham em navios, incluindo petroleiros, graneleiros, porta-contentores e navios de passageiros. Deste número total de pessoas indicadas, 16.500 (1 por cento) são mulheres.

Àquele número devem ainda ser adicionadas cerca de 300 mil a 350 mil pessoas que trabalham em navios de cruzeiro, das quais 28 a 30 por cento são mulheres. Em média, e considerando todos os tipos de navios, o estudo refere que 7,5 por cento das pessoas que trabalham atualmente a bordo de navios são mulheres.

O relatório indica que 30 por cento das empresas empregam mulheres em cargos de direção e cerca de 60 por cento das companhias têm oficiais do sexo feminino a bordo de navios.

Embora seja encorajador que muitas empresas (75 por cento) tenham uma política de licença maternidade, o relatório também observa que é vital que as políticas sejam robustas e levanta preocupações sobre se as empresas encorajam ativamente a diversidade e inclusão entre as tripulações e funcionários.

O documento deixa ainda um conjunto de recomendações, desafiando as empresas a serem capazes de demonstrar diversidade corporativa e políticas de inclusão, designadamente, aumentarem significativamente o número de mulheres a bordo de 7,5 para 12 por cento nos próximos três anos (quando for publicado um novo relatório), e para 25 por cento, em 20 anos.

O estudo conclui ainda que “a sustentabilidade deste setor depende da capacidade de continuar a atrair novos candidatos e a reter os atuais profissionais”.

Assinala também que setor marítimo é sensível às tendências económicas globais, incluindo a procura global por bens, assegurando que o mesmo tem evoluído com mudanças estruturais no comércio marítimo, incluindo, designadamente, a dimensão e composição das frotas nacionais, a aplicação de novos métodos de gestão marítima e os avanços tecnológicos. 

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter