Daniela Mercury lança manifesto contra violação dos direitos humanos no Brasil - Plataforma Media

Daniela Mercury lança manifesto contra violação dos direitos humanos no Brasil

A cantora baiana e vários outros artistas assinam manifesto com regravação da cover “Apesar de Você” de Chico Buarque

Daniela Mercury está a usar a sua voz para chamar a atenção contra a violação dos direitos humanos. A cantora regravou e lançou a música “Apesar de Você”, da autoria do carioca Chico Buarque, e enviou o material para a imprensa junto com um manifesto, assinado por vários artistas, como Zélia Duncan, Gilberto Gil, Adriana Calcanhotto, Caetano Veloso ou Margareth Menezes.

A música “Apesar de Você” foi lançada e censurada em 1970, durante a Ditadura Militar, um regime instaurado entre 1964 e 1985. A letra combate o autoritarismo, a censura e os ataques da ditadura. A música completa este ano 50 anos de existência, daí também o resgate de Daniela.

Leia o manifesto na íntegra:

Manifesto contra a violação de direitos humanos, pela liberdade de expressão e pela democracia

Há cinquenta anos, Apesar de Você, de Chico Buarque de Holanda, foi um manifesto musical eloquente contra o autoritarismo e contra a censura que inibiam as liberdades humanas e os direitos fundamentais na ditadura.

Hoje, no Dia Internacional dos Direitos Humanos, estamos lançando um manifesto audiovisual contra a violação de direitos humanos, pela liberdade de expressão e pela democracia.

Nosso propósito é o de pedir à sociedade civil que identifique as forças antidemocráticas e reflita sobre os riscos que a perda de liberdades gera para a democracia.

Ao reunir matérias de imprensa sobre violações graves aos direitos humanos, sobre os ataques à democracia, sobre o enfraquecimento das instituições, sobre a destruição da natureza, sobre a redução dos espaços de participação social e do acesso à informação pública, dentre outras gravíssimas violações constitucionais, buscamos mostrar a crescente escalada do autoritarismo, dos discursos de ódio e das perdas de liberdades no Brasil.

É imprescindível e urgente combater com veemência a censura às liberdades artística e cultural; à liberdade de cátedra; à liberdade de imprensa e à ciência; bem como o uso de fake news e os ataques aos artistas, aos jornalistas, às mulheres, aos povos indígenas, aos povos tradicionais, aos quilombolas, à comunidade LGBTQIA+, aos ciganos, aos moradores de comunidades e de periferias e à população negra, enfim, a todas as minorias. Também é urgente e imprescindível fazer cessar a destruição da Amazônia, do Pantanal, do Cerrado, da Caatinga e da Mata Atlântica, porque é um direito humano o acesso à água limpa, ao ar puro, ao saneamento básico e a um ambiente equilibrado.

Este manifesto é uma forma de resistência democrática e de fortalecimento da sociedade civil. Os direitos humanos estão feridos. É preciso deixar claro que não há democracia sem direitos humanos. Precisamos garantir todas as liberdades, a começar pela liberdade de expressão.

Amanhã vai ser outro dia!

Daniela Mercury
Elza Soares
Gilberto Gil
Caetano Veloso
Adriana Calcanhotto
Geraldo Azevedo
Deborah Colker
Zélia Duncan
Dona Onete
Céu
Vik Muniz
Margareth Menezes
Vânia Abreu
Teresa Cristina
Gabriela Priori
Ailton Krenak
Vovô do Ilê
Antonio Nobrega
Silva
Elisa Lucinda
Assucena (As Baías)
Raquel Virginia (As Baías)
Rafa (As Baías)
Jessé de Souza
Sergio Besserman
Casagrande
Preta Ferreira
Anielle Franco

Assine nossa Newsletter