Bombas incendiárias lançadas contra clube da polícia de Hong Kong - Plataforma Media

Bombas incendiárias lançadas contra clube da polícia de Hong Kong

Bombas incendiárias foram lançadas num clube recreativo da polícia de Hong Kong na madrugada desta terça-feira, um ataque raro a uma instalação policial desde que Pequim impôs a abrangente lei de segurança nacional.

A polícia disse ter recebido uma denúncia de três homens vestidos de preto a lançar cocktails molotov no estacionamento do Clube de Desporto e Recreação da Polícia em Mongkok, um distrito que viu muitos confrontos durante os protestos pela democracia no ano passado.

Imagens dos media locais mostraram que a frente de um camião foi queimada, mas não houve mais danos.

Um homem de 18 anos foi posteriormente preso perto do clube, disse a polícia, embora não tenha ficado claro se era um suspeito.

Em 2019, Hong Kong viveu a pior crise política desde a transferência de soberania do Reino Unido para a China em 1997, com manifestações quase diárias, e por vezes violentas, nas quais foram exigidas reformas democráticas e uma investigação sobre as ações da polícia, acusada de “violência”.

Nesse período, as esquadras de polícia de Hong Kong foram repetidamente visadas.

Milhares de detenções, e depois as restrições ordenadas para combater o surto do novo coronavírus, foram seguidas por protestos nas ruas. Mas nenhuma das exigências dos manifestantes foi satisfeita.

Em junho, Pequim avançou com a imposição da lei de segurança nacional na região semiautónoma chinesa. Os ataques contra a polícia são agora considerados terrorismo e puníveis com prisão perpétua.

A maioria dos presos sob a nova lei está sendo investigada ou processada por coisas que disseram, não por crimes violentos.

Pequim diz que a lei restaurou a estabilidade.

Críticos, incluindo muitas potências ocidentais, dizem que o país destruiu as liberdades e a autonomia que a China prometeu que Hong Kong poderia manter após a sua transferência do governo colonial britânico em 1997.

Este artigo está disponível em: English

Related posts
ChinaHong Kong

Sem remorsos, Carrie Lam recupera confiança para liderar Hong Kong

ChinaHong Kong

Estudantes marcharam em Hong Kong para exigir libertação de 12 manifestantes

Hong KongPolítica

Polícia de Hong Kong detém três ex-deputados pró-democracia

ChinaHong Kong

Hong Kong: Governo britânico convocou embaixador da China para manifestar desagrado

Assine nossa Newsletter