Saiba quem é a feminista que pregou ódio aos homens e se tornou alvo de ataques - Plataforma Media

Saiba quem é a feminista que pregou ódio aos homens e se tornou alvo de ataques

Manifesto de Pauline Harmange que causou polémica em França será publicado no Brasil no próximo ano

A francesa Pauline Harmange, de 25 anos, publicou um livro, e todo mundo quer saber o que seu marido pensa dele. “É muito curioso esse apego em querer saber a opinião dele. Não foi Mathieu quem escreveu o livro”, ela diz. “Todos os ensaístas são questionados sobre o que suas mulheres acham de seu trabalho?”

Já o parecer de outro homem sobre “Moi Les Hommes, Je Les Déteste” –ou eu odeio os homens, em português– ficou bem público. Ao ser lançada, em agosto, a obra despertou a ira de Ralph Zurmély, assessor no Ministério da Igualdade entre Mulheres e Homens, na França. Ele mandou um email à Monstrograph, editora independente responsável pela obra que no Brasil sairá pela Record no ano que vem, ameaçando processar a empresa por “apologia da misandria”.

“Além de muito barulho na mídia e uma negação um tanto morna do ministério”, nada aconteceu depois da tentativa de intimidação, afirma Harmange. Ela está sendo modesta. A projeção ajudou o manifesto a saltar de 450 cópias impressas, sua tiragem inicial, para 15 mil, agora numa grande editora.

O ensaio começa com uma citação de Sylvia Plath. “O problema era que eu odiava a ideia de servir aos homens de qualquer forma.” Isso dá o tom dos escritos de Harmange, que defende o direito de odiar os homens como forma de liberação.

Leia mais em Folha de S.Paulo

Artigos relacionados
PortugalSociedade

Francisco Aguilar: "feminismo político" é o "mais criminoso regime da história"

Cultura

“Uso o feminismo na escrita como um instrumento de denúncia”

Assine nossa Newsletter