Auxílio emergencial será prorrogado se houver 2ª onda de Covid no Brasil

Auxílio emergencial será prorrogado se houver 2ª onda de coronavírus no Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o governo prorrogará o auxílio emergencial, caso haja uma segunda onda da pandemia do coronavírus no Brasil. “Prorrogação do auxílio emergencial se houver segunda onda não é possibilidade, é certeza. Se houver segunda onda da pandemia, o Brasil reagirá como da primeira vez. Vamos decretar estado de calamidade pública e vamos recriar auxílio emergencial”, afirmou.

Segundo o ministro, essa não é a expectativa, mas é previsto pela equipe econômica como uma contingência. “O plano A para o auxílio emergencial é acabar em 31 dezembro e voltar para o Bolsa Família. A pandemia descendo, o auxílio emergencial vai descendo junto. A renovação do auxílio emergencial não é nossa hipótese de trabalho, é contingência”, completou.

Em evento virtual organizado pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), Guedes disse que, se for necessária a prorrogação, a ideia é que o país gaste menos do que no primeiro enfrentamento da pandemia. “Ao invés de gastar 10% do PIB, talvez gastemos 4%”, completou. “O Brasil vai furar as duas ondas, estamos saindo do lado de lá”.

Leia mais em Istoé

Artigos relacionados
AngolaSociedade

“Caçadores de óbito”, os truques para matar a fome em Luanda à custa dos funerais

BrasilEconomia

Guedes considera que em nenhum momento a democracia brasileira esteve em risco

BrasilEconomia

Guedes diz que acordos políticos no Brasil dificultam privatizações

BrasilEconomia

Guedes considera "inaceitável" taxar o trabalho, mas, para já, prefere "esse imposto de merda"

BrasilPolítica

Bolsonaro minimiza desentendimentos entre Paulo Guedes e Rodrigo Maia

Assine nossa Newsletter