Muçulmanos “têm o direito de matar franceses”, diz ex-primeiro-ministro da Malásia

por Fernanda Mira

“Independentemente da religião em causa, as pessoas zangadas matam”, escreveu o ex-primeiro-ministro da Malásia em várias mensagens publicadas no Twitter.

O ex-primeiro-ministro da Malásia Mahathir Mohamad declarou esta quinta-feira que os muçulmanos “têm o direito de matar milhões de franceses”, pouco depois do atentado numa igreja de Nice (sudeste de França), ao qual, contudo, não fez referência.

Mahathir Mohamad, que chefiou o executivo da Malásia, país muçulmano, até fevereiro passado, escreveu esta quinta-feira uma série de mensagens, em inglês, na sua conta na rede social Twitter, partindo do assassínio, a 16 de outubro, de um professor francês que tinha mostrado caricaturas de Maomé aos alunos e criticando o Presidente francês, Emmanuel Macron.

Ao referir-se à decapitação do professor, Mahathir afirma não aprovar o atentado, mas defende que a liberdade de expressão “não inclui insultar outras pessoas”.

“Independentemente da religião em causa, as pessoas zangadas matam”, escreve o ex-primeiro-ministro, de 95 anos, que no passado fez várias declarações polémicas sobre judeus e homossexuais.

“Os franceses, ao longo da sua história, mataram milhões de pessoas. Muitas eram muçulmanos”, continua, acrescentando que “os muçulmanos têm o direito de estar zangados e de matar milhões de franceses pelos massacres do passado”.

Leia mais em Diário de Notícias

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!