Parlamento tailandês começa a discutir mudanças democráticas

Parlamento tailandês começa a discutir mudanças democráticas

O parlamento da Tailândia iniciou ontem uma sessão especial, convocada para debater as tensões políticas e protestos pró-democracia quase diários, que exigem a demissão do primeiro-ministro, mudanças constitucionais e reformas da monarquia

O principal partido da oposição pediu ao primeiro-ministro da Tailândia, Prayut Chan-ocha, que renuncie ao cargo, acusando-o de “colocar lenha na fogueira” com a sua gestão dos protestos pró-democracia liderados por estudantes. “A forma como o general Prayut tenta resolver o problema agravou a situação. A suas palavras e acções colocaram lenha na fogueira, tornando tudo mais difícil e complicado”, disse o líder do Pheu Thai (o maior partido da oposição), Sompong Amornvivat.

A crítica foi feita durante a sessão extraordinária do parlamento, que irá durar dois dias e que foi convocada de forma consultiva pelo Governo em resposta aos protestos que, desde Julho passado, reclamam reformas democráticas.

No discurso de abertura, Prayuth afirmou estar ciente de que esta é uma era de mudanças, impulsionada pela tecnologia, mas defendeu que “na Tailândia, há milhões ou dezenas de milhões de pessoas que não querem ver mudanças através de caos”. Prayuth pediu ao parlamento que “seja criativo e encontre um equilíbrio” entre pontos de vista concorrentes.

Leia mais em Hoje Macau

Artigos relacionados
LifestyleSociedade

Insulto à família real tailandesa leva à pena recorde de 43 anos de prisão

MacauPolítica

Reforma política em Macau: Deputado Au Kam San critica falta de desenvolvimento democrático

MundoPolítica

Novos confrontos em Paris entre manifestantes contra a nova lei de segurança e a polícia

MundoSociedade

Neto de Mandela defende que protestos em massa são forma de mudança

Assine nossa Newsletter