Timor-Leste junta-se a movimento internacional para melhorar nutrição - Plataforma Media

Timor-Leste junta-se a movimento internacional para melhorar nutrição

Timor-Leste juntou-se hoje oficialmente ao “Movimento SUN”, iniciativa internacional de promoção de melhor nutrição, decisão que segundo o primeiro-ministro reafirma o compromisso do Governo em responder ao que é um dos maiores desafios do país.

“Timor-Leste assumiu o compromisso de melhorar as condições de vida das populações, especialmente no seu bem-estar em áreas de educação, saúde e alimentação, e no acesso a serviços e infraestruturas básicas, contribuindo para o desenvolvimento e estabilidade económicos do país”, explicou Taur Matan Ruak numa mensagem divulgada hoje.

“Este compromisso encoraja a nossa aposta estratégica de combate à pobreza e à subnutrição infantil e familiar, o qual justifica a nossa adesão ao Movimento Global para a Melhoria da Nutrição”, disse, referindo-se ao “SUN Movement” ou “Scaling Up Nutrition Movement”, em inglês.

O chefe do Governo explicou que a adesão ao movimento pretende ajudar a mobilizar recursos humanos e financeiros “em favor do estabelecimento de novas Parcerias Públicas e Privadas, para a implementação de um Roteiro Operacional de Movimento SUN em Timor-Leste”, e assim apoiar os planos e políticas de nutrição nacionais.

“Acreditamos que, com o apoio do Movimento SUN em Timor-Leste, teremos a possibilidade de dar às crianças um melhor começo de vida, contribuindo para a redução do índice de subnutrição e de mortalidade infantil, assegurando o desenvolvimento de uma sociedade saudável e ativa, com crianças bem alimentadas, famílias prósperas e populações fortes”, sublinhou.

Numa mensagem endereçada a Timor-Leste, a assistente do secretário-geral das Nações Unidas e coordenadora do SUN Movement, Gerda Verburg, saudou a participação timorense no movimento.

“O Movimento SUN baseia-se nos princípios de que só em conjunto – trabalhando entre setores e grupos de interessados no país – podemos efetivamente combater a desnutrição. Temos o prazer de aceitar o seu pedido de adesão e estamos prontos para vos acolher para se juntarem ao Movimento SUN ao lado de 61 países e quatro Estados membros”, referiu.

“Os Países SUN oferecem-se imensas oportunidades para aprender e partilhar as suas histórias sobre o que está a funcionar nas suas comunidades. A nossa rede, organizada em toda a sociedade civil, Nações Unidas, empresas, doadores e parceiros de desenvolvimento, inclui especialistas e pessoas com anos de experiência no apoio ao desenvolvimento de planos e estratégias nacionais focadas na obtenção de impacto”, sublinha-se na nota.

O Movimento SUN nasceu de “um reconhecimento global crescente dos problemas de subnutrição e com as preocupações pelo facto de o sistema internacional não estar a conseguir lidar com o problema de forma eficaz”.

A ideia surgiu na sequência da criação em 2008 de um grupo de trabalho de alto nível das Nações Unidas sobre segurança alimentar e nutricional, a que se seguiu o Consenso de Copenhaga, que reiterou a importância da nutrição para o desenvolvimento.

O assunto marcou a agenda de uma cimeira mundial em 2009, gerando um primeiro movimento que teve o apoio de 80 instituições internacionais

O processo foi formalizado em movimento global em 2012.

Related posts
LifestyleSociedade

Por que sentimos mais fome no inverno?

Sociedade

Quase metade das crianças moçambicanas são mal nutridas. Em Angola são 30%

Assine nossa Newsletter