As mães demitidas durante a pandemia: 'Tentei conciliar trabalho com meu bebê, mas perdi o emprego' - Plataforma Media

As mães demitidas durante a pandemia: ‘Tentei conciliar trabalho com meu bebê, mas perdi o emprego’

Crise escancara o desequilíbrio nos cuidados com as crianças e a invisibilidade dessas tarefas perante o mercado de trabalho

A pandemia chegou quando a advogada Nádia Silva, de Goiás, estava em seu segundo mês de licença-maternidade. Mãe solo (embora receba pensão do pai da criança), ela pretendia juntar um mês de férias à licença e aproveitar o período para encontrar um berçário para deixar o bebê quando voltasse ao trabalho. O plano não deu certo: os berçários continuam fechados, e a empresa exigiu a volta dela sem conceder as férias.

A analista de contratos tentou equilibrar tudo —cuidados com o bebê, trabalho em tempo integral em home office e cuidados com a casa—, mas a situação ficou insustentável.

“Às vezes eu acordava às 4h da manhã para terminar meu trabalho antes de o bebê acordar. E também fazia todo o trabalho doméstico”, conta à BBC News Brasil. “Dois meses depois, pedi para a empresa um novo arranjo e um aumento, para eu poder pagar uma babá. Acho que eles acharam que eu não valia tudo isso. A generosidade deles foi de me demitir, o que pelo menos me deu uma indenização.”

No momento, Nádia não enxerga formas de voltar ao mercado de trabalho. “Não tenho muito apoio na família para cuidar do bebê, não tenho perspectivas de haver creche e berçário com segurança agora. É difícil, porque eu me esforcei bastante, trabalhava dia e noite, com uma sobrecarga emocional enorme. Você se sente desvalorizada como mulher e como mãe.”

Leia mais em Folha de S. Paulo

Related posts
LifestyleMundo

McDonald's e Uber vão incentivar americanos a receber a vacina

BrasilSociedade

Universidade brasileira pede para testar em humanos terceira vacina

MundoSociedade

Países africanos defendem produção local de vacinas para evitar atrasos

Desporto

Tóquio2020: Responsável do Comité Olímpico Internacional afirma que nada pode impedir realização

Assine nossa Newsletter