Japão, Índia, Alemanha e Brasil exigem lugar permanente no Conselho de Segurança

Japão, Índia, Alemanha e Brasil exigem lugar permanente no Conselho de Segurança

A Alemanha, a Índia, o Japão e o Brasil exigiram ontem, à margem da Assembleia Geral das Nações Unidas, um lugar permanente no Conselho de Segurança, um pedido que já é antigo, mas que dificilmente surtirá o efeito pretendido.

“Estamos empenhados em relançar as discussões sobre a reforma do Conselho de Segurança” da Organização das Nações Unidas (ONU), explicitaram, em comunicado conjunto citado pela France-Presse (AFP), os ministros nos Negócios Estrangeiros do Brasil, Ernesto Araújo, do Japão, Motegi Toshimitsu, da índia, Subrahmanyam Jaishankar, e o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da Alemanha, Niels Annen.

Estes quatro países consideraram que “o mundo hoje é muito diferente daquele que viu a criação das Nações Unidas há 75 anos”. Há “mais países, mais pessoas, mais desafios, mas também há mais soluções”, acrescentaram os diplomatas.

A ampliação do Conselho de Segurança, com mais elementos permanentes e não permanentes, foi um dos principais tópicos de discussão durante a semana. Actualmente, os Estados-membros permanentes deste organismo são os Estados Unidos da América (EUA), a China, a Rússia, França e o Reino Unido. Há outros dez países que integram o Conselho de Segurança, que são escolhidos para um mandato de dois anos, mas cinco são renovados anualmente.

Leia mais em Hoje Macau

Artigos relacionados
MoçambiquePolítica

Cabo Delgado: ONU diz que "O exército moçambicano não está preparado"

MundoPolítica

Covid-19: Guterres apela ao G20 para demonstrar audácia e ambição

BrasilMundo

BRICS apoiam candidatura do Brasil para Conselho de Segurança da ONU

MundoPolítica

Missão das Nações Unidas “é agora mais crucial do que nunca”

Assine nossa Newsletter