A crise que chegou a todos não é igual para todos - Plataforma Media

A crise que chegou a todos não é igual para todos

Os impactos da pandemia fizeram-se sentir de maneira diferente na UE. E isso também vai definir a resposta de cada país na fase da recuperação.

Desta vez foi diferente. Ao contrário do que aconteceu com a crise financeira, esta chegou a todos, ao mesmo tempo e com uma violência sem precedentes. Mas não tem os mesmos efeitos em todos os países. A Europa, que foi o segundo centro mundial do surto de covid-19 que começou na China, ainda tenta recuperar da queda histórica da atividade económica. Uma crise sem paralelo desde a II Guerra Mundial.

Nas últimas projeções avançadas pelo Banco Central Europeu o cenário para este ano melhorou ligeiramente, mas as economias do euro não devem escapar a uma contração de 8% do produto interno bruto (PIB), contra os anteriores 8,7%. Mas a incerteza ainda é muita. Tudo vai depender da severidade e duração da pandemia nos próximos meses até ser encontrada uma vacina ou um tratamento eficaz.

Olhando para os dados que já existem para o segundo trimestre do ano, a crise afetou os países de forma muito diferente com impactos heterogéneos nos setores de cada economia, dependendo da estrutura produtiva.

Leia mais em Dinheiro Vivo

Related posts
BrasilEconomia

Caixa libera saque da 4ª parcela do auxílio emergencial 2021

MundoSociedade

América Latina pode enfrentar 'avalanche de problemas de saúde' devido à Covid

MundoSociedade

Hospitais de Banguecoque lotados devido a forte surto da doença

MundoSociedade

Milhares de estrangeiros abandonam Indonésia

Assine nossa Newsletter