Governo da RAEM propôs a Pequim desistir de um dos cinco aterros

Governo da RAEM propôs a Pequim desistir de um dos cinco aterros

O Governo pediu a Pequim para deixar cair um dos cinco aterros cedidos em 2009 e que, no total, perfazem uma área de 350 hectares

O Governo pretende abrir mão da zona D, com uma área de 58 hectares, que devia nascer em frente ao local onde se queimam panchões na Taipa, tendo proposto, em troca, reclamar um nova parcela ao mar, junto ao reservatório e à zona A dos novos aterros – o maior de todos – que vai ser sobretudo residencial.

Essa parcela, com uma área projectada de 41 hectares, destinar-se-á a um parque público, caso Pequim dê ‘luz verde’.

A revelação foi feita, esta tarde, pelo secretário para os Transportes e Obras Públicas, Raimundo do Rosário, durante a apresentação do projecto do Plano Director dirigida aos deputados.

A concretizar-se a troca, o Governo prescide, na prática, de uma área de 17 hectares, em nome da qualidade de vida.

Leia mais em TDM

Artigos relacionados
BrasilPolítica

Obras da Codevasf sob Bolsonaro viram elefantes brancos

MacauPolítica

Aterros da discórdia

MacauSociedade

Novos Aterros: Construção de mais de 23 mil habitações arranca nos próximos quatro anos

MacauPolítica

Obras públicas superiores a 100 milhões com derrapagem média de 0,8%

Assine nossa Newsletter