Brasileiros vão eleger projeto autoritário ou alinhado à Constituição em 2020 - Plataforma Media

Brasileiros vão eleger projeto autoritário ou alinhado à Constituição em 2020

Sem citar Bolsonaro, ministro do STF e do TSE, Edson Fachin, criticou ataques ao processo eleitoral, comparando-os a um ‘habeas corpus preventivo para contaminar o resultado’.

O ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal), afirmou que as duas próximas eleições vão colocar em disputa dois projetos: um que ele chamou de autoritário, e outro, ligado à “agenda de 88”, em referência ao ano de promulgação da Constituição.

“Creio que a sociedade brasileira precisa se preparar para fazer uma escolha entre essas duas agendas e esses dois projetos. E isso, na via da democracia deliberativa, se dará em 2022”, disse Fachin em transmissão ao vivo nesta segunda-feira (31), promovida pelo programa Violações e Retrocessos, coordenado por acadêmicos de direito da UFPR (Universidade Federal do Paraná).

Ao longo de sua manifestação, o ministro —que também é vice-presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral)— descreveu o que caracterizaria esse projeto que se contrapõe ao campo democrático.

Leia mais em Folha de S. Paulo

Assine nossa Newsletter