Governador do Rio diz que a sua suspensão do cargo "é um ultraje à democracia" - Plataforma Media

Governador do Rio diz que a sua suspensão do cargo “é um ultraje à democracia”

Após ser afastado do cargo de governador pelo Superior Tribunal de Justiça, Wilson Witzel fez um pronunciamento nesta sexta-feira. Ele iniciou dizendo estar indignado e decepcionado e ainda falou em uso político da operação e criticou afastamento do cargo

A Operação Tris in Idem, deflagrada é um desdobramento da Operação Placebo, que apura corrupção em contratos públicos, como os da área da saúde.

“Mais um circo sendo realizado. Lamentavelmente, a decisão do excelentíssimo senhor Ministro Benedito, induzido pela Procuradoria da República (PGR), na pessoa da doutora Lindora [Subprocuradora-geral da República], que está se especializando em perseguir governadores, desestabilizar estados da Federação com investigações rasas, buscas e apreensões preocupantes”, disse. Ele ressaltou do “possível uso político” da instituição.

Witzel negou ter praticado qualquer tipo de ato para atrapalhar as investigações. “Eu afastei o secretário de saúde, eu exonerei o Gabriel Neves, eu determinei o banimento das OS do nosso estado, eu determinei auditoria em todos os contratos”. 

Ele lembrou durante o pronunciamento a operação da Polícia Civil do estado que prendeu milicianos e questionou “Eu estou incomodando? A Polícia Civil e o Ministério Público do Rio de Janeiro estão investigando sim e não vão parar”, afirmou.

Leia mais em Band

Artigos relacionados
BrasilPolítica

Secretário escolhido por Paes define 10 medidas contra covid-19 no Rio

BrasilSociedade

Juiz do Supremo exige que governo do Rio justifique operações policiais

BrasilSociedade

População negra morre mais por conta da Covid-19 no Brasil

BrasilSociedade

Luau reúne 2.000 pessoas na praia do Arpoador, no Rio de Janeiro

Assine nossa Newsletter