Dois japoneses em lua de mel retidos em Cabo Verde serão embaixadores do país nos Jogos Olímpicos - Plataforma Media

Dois japoneses retidos em Cabo Verde serão embaixadores do país nos Jogos Olímpicos

Rikya e Ayumi Katakoa começaram uma volta ao mundo em dezembro, na África do Sul, e acabaram por ficar retidos em Cabo Verde quando o aeroporto fechou por causa da pandemia. Mas como têm divulgado o país africano com vídeos profissionais e muito vistos, foram nomeados “embaixadores”

O casal em lua de mel Rikiya e Ayumi Kataoka, do Japão, foram nomeados embaixadores aos Jogos Olímpicos de Tóquio 2021 por terem realizado e divulgado vídeos promocionais de Cabo Verde, arquipélago africano onde ficaram retidos há meses por causa da Covid-19. Desde que o aeroporto internacional da ilha do Sal, em Cabo Verde, fechou, Rikya e Ayumi, tornaram-se residentes da ilha e tiraram partido de uma situação complicada.

Rikiya, 29 anos, que trabalha como videográfico em Tóquio, aproveitou a oportunidade para filmar os belos sítios onde passava com a mulher, de praias paradisíacas a aldeias, restaurantes ou resorts, a troco de alojamento ou comida, conta a AFP.

Os vídeos, publicados no Instagram de Rikya, atraíram atenção mediática e foram vistos e partilhados por milhares de pessoas. O facto não passou despercebido à missão de Cabo Verde aos Jogos Olímpicos de Tóquio 2021 (que eram para ter sido realizados este ano mas foram adiados por causa da pandemia).

Leonardo Cunha, chefe da missão, resolveu propor uma parceria ao jovem casal: “Decidimos convidá-los como nossos embaixadores porque eles têm realizado vídeos de alta qualidade sobre a Ilha do Sal, os quais têm vindo a receber muita atenção”, explicou.

“Eles entusiasmaram-se na divulgação do nosso país, apesar de se encontrarem numa situação difícil”, acrescentou Leonardo Cunha, justificando o convite.

Para os dois jovens na lua de mel mais prolongada da História, o convite foi recebido com surpresa total. “Bem eu imaginei que o facto de estarmos aqui retidos em Cabo Verde podia receber atenção mediática mas nunca pensei que nos tornássemos embaixadores de Cabo Verde aos Jogos Olímpicos de 2021”, comentou Rikya, entre risos.

A missão olímpica cabo verdiana garante que não vai exigir muito dos novos embaixadores. “Pedimos apenas que continuem a documentar a sua viagem e a morabeza, a tradicional hospitalidade de Cabo Verde”, afirma Leonardo Cunha.

O arquipélago de Cabo Verde, que tem uma população de apenas 550.000 pessoas, vai enviar uma missão muito reduzida aos Jogos Olímpicos de Tóquio mas o país africano, que vive sobretudo do turismo, quer aproveitar a oportunidade de divulgação. “Esperemos que continuem a promover o nosso país durante os Jogos”, adiantou o chefe de missão. Os “embaixadores” terão ainda bilhetes gratuitos para os Jogos.

Rikya e Ayuimi, que nunca tinham ficado tanto tempo num país, admitem não ter agora pressa alguma de regressar a Tóquio. O aeroporto internacional ainda está fechado e Rikiya tem planos de filmar o presidente de Cabo Verde e o Comité Olímpico do país africano. “Duvido que volte a ter a mesma sorte de arranjar empregos como este de novo. Por isso quero fazer a minha parte e retribuir a gentileza a este país”.

Related posts
EconomiaMacau

Fluxo de visitantes em Macau subiu em 2021

ChinaPortugal

Vinho e turismo vinícola do Pico promovidos na China

MundoTransportes

Mais de 7.000 voos cancelados no fim de semana

EconomiaEntrevista

Covid é oportunidade para Macau atrair outro tipo de turista

Assine nossa Newsletter