Despesa das famílias em Moçambique abranda para 1% - Plataforma Media

Despesa das famílias em Moçambique abranda para 1%

A consultora Fitch Solutions alertou hoje que o crescimento da despesa dos consumidores em Moçambique será de 1% este ano, abaixo da taxa de 2,4% registada na crise financeira mundial de 2008 e 2009

“Prevemos que o impacto da pandemia da covid-19 e as subsequentes restrições à circulação usadas para conter a propagação do vírus faça a despesa dos consumidores crescer apenas 1%, um impacto mais negativo nos hábitos de consumo dos moçambicanos que a Grande Crise Financeira de 2008/2009, quando a despesa das famílias cresceu 2,4%”, escrevem os analistas.

Numa nota enviada aos clientes, e a que a Lusa teve acesso, os analistas desta consultora detida pelos mesmos donos da agência de notação financeira Fitch Ratings antecipam que depois de uma expansão de 6,7% em 2019, o aumento das despesas dos moçambicanos fique em 1% este ano e acelere em 2021 para 5,3%.

“A sustentar a nossa visão negativa para 2020 está a perspetiva económica geral para Moçambique, com o PIB [produto interno bruto] a crescer apenas 0,3% face aos 2,3% do ano passado, o mesmo acontecendo com a perspetiva de evolução das finanças dos consumidores devido ao desemprego e às perspetivas de evolução dos salários”, argumentam.

Olhando para o próximo ano, os analistas da Fitch Solutions mostram-se mais otimistas: “Apesar de a curto prazo ainda ir demorar algum tempo para os consumidores se adaptarem ao novo normal, o abrandamento das restrições à circulação leva-nos a projetar uma recuperação da despesa das famílias”, acrescentam.

Numa nota divulgada no domingo, esta consultora previa um crescimento de 0,2% este ano, “o mais baixo das últimas três décadas”, e argumentava que a quebra de 3,3% no PIB do segundo trimestre deste ano ia ser compensado com a atividade no segundo semestre, com o levantamento das medidas de distanciamento social.

“A nossa previsão central é que a ausência de um confinamento total, em conjunto com investimentos robustos no seguimento dos ciclones de 2019 e o desenvolvimento do setor do gás natural liquefeito, será suficiente para manter o crescimento em território positivo em 2020”, apontava a Fitch Solutions.

“Em 2021 o crescimento económico deverá acelerar para 3,6%, e o regresso das pessoas aos mercados deverá garantir mais lucros e investimentos na indústria dos serviços e do comércio”, concluíram.

Moçambique, que viveu os últimos cinco meses em estado de emergência, regista um total de 3.440 casos de infeção pelo novo coronavírus, 21 óbitos e 1.661 pessoas dadas como recuperadas, segundo a última atualização.

Em África, há 27.779 mortos confirmados em mais de 1,2 milhões de infetados em 55 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 809 mil mortos e infetou mais de 23,4 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Related posts
EconomiaPortugal

Despesa com apoios covid dispara em fevereiro. Superou mil milhões de euros em dois meses

PortugalSociedade

Covid-19/Um ano: Despesa do SNS com a pandemia ultrapassou os 900 milhões

BrasilEconomia

Livro mostra como o Brasil gasta mal e podia estar melhor com a mesma despesa

BrasilSociedade

Exército do Brasil gastou 1,5 milhões para fazer cloroquina

Assine nossa Newsletter