Nasa contraria Bolsonaro e diz que queimadas são fruto de desmatamento - Plataforma Media

Nasa contraria Bolsonaro e diz que queimadas são fruto de desmatamento

A maior parte dos incêndios na Amazónia brasileira desde junho ocorreu em áreas de florestas que foram recentemente desmatadas. A análise da Nasa mostra o contrário do que já disseram o presidente Jair Bolsonaro e o vice-presidente e chefe do Conselho da Amazônia Hamilton Mourão.

Em um artigo publicado na quarta (19) com o título “Vamos falar de queimadas”, Mourão não cita o desmatamento como motivo para o fogo na floresta. Ao contrário, o vice-presidente diz que ocorrem incêndios naturais na Amazônia —na verdade, por ser uma floresta úmida, fogo natural, proveniente de raios, por exemplo, é extremamente raro no bioma— e associa as queimadas a “balões de São João, fogueiras e queima de lixo”.

No mesmo artigo, Mourão apresenta outras informações incorretas e afirma que a moratória do fogo de 120 dias contribuiu para redução dos incêndios. Segundo Mourão, houve diminuição de 7,6% das queimadas de 1º de maio a 31 de julho de 2020, o que não é verdade. Nesse período, houve um aumento de cerca de 23% dos focos de incêndio em relação aos mesmos meses do ano passado.

“Pessoal, tem certas regiões aqui, focos de incêndio que vai existir quase todo ano, que é caboclo, é o índio que toca fogo. Se ele não tocar fogo, é a cultura dele, ele não vai comer, não tem nada o que comer ano seguinte”, afirmou Bolsonaro em live em 23 de julho deste ano, na qual acusou mais uma vez a imprensa de mentir.

Os dados sobre queimadas e desmatamento no Brasil divulgados são provenientes do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), instituto ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia.

A análise da Nasa é baseada em uma nova ferramenta da agência, desenvolvida em parceria com a Universidade da Califórnia em Irvine, nos EUA, e com a Universidade Cardiff, no País de Gales, que classifica os incêndios na Amazônia. A classificação —queimadas ligadas a desmatamento ou limpeza de pasto, por exemplo— é feita a partir das características do fogo, como tamanho e comportamento. Queimadas ligadas a desmatamento, por exemplo, são maiores, duram mais tempo e apresentam colunas de fumaças maiores.

Leia mais em Folha de S. Paulo

Assine nossa Newsletter