Putin quer cimeira dos países que assinaram acordo nuclear com o Irão - Plataforma Media

Putin quer cimeira dos países que assinaram acordo nuclear com o Irão

O Presidente russo, Vladimir Putin, convocou na sexta-feira uma cimeira dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas e convidou a Alemanha e o Irão para discutir o dossiê nuclear iraniano.

O apelo foi feito na sequência de uma proposta de resolução apresentada pelos Estados Unidos para prolongar o embargo internacional à venda de armas a Teerão, que expira em 18 de outubro, nos termos da resolução que aprovou o acordo nuclear internacional, concluído em julho de 2015 entre o Irão e os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (China, Estados Unidos, França, Reino Unido e Rússia) e também com a Alemanha.

Segundo os termos do acordo nuclear, o Irão concordou reduzir as suas atividades nucleares em troca, entre outras coisas, da redução de sanções internacionais.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, retirou unilateralmente o país do acordo, em maio de 2018, e impôs pesadas sanções ao Irão como parte de uma campanha de “pressão máxima”.

Em resposta, o Irão começou, em maio de 2019, a deixar de cumprir os seus compromissos no acordo, enquanto pedia que as sanções fossem atenuadas.

“As discussões no Conselho de Segurança da ONU sobre a questão iraniana estão-se a tornar cada vez mais tensas. A situação está a piorar”, disse Putin, em comunicado divulgado pelo Kremlin.

“O objetivo é estabelecer medidas que permitam evitar um confronto e um agravamento da situação no Conselho de Segurança da ONU”, explicou o Presidente russo.

“A questão é urgente”, sublinhou Putin, alertando para o “aumento das tensões” e o “alto risco de um conflito real”.

A China e a Rússia, que, tal como todos os membros permanentes do Conselho de Segurança, têm direito de veto, opõem-se ao prolongamento do embargo.

Assine nossa Newsletter