Ensaio aborda desavença entre Drummond e João Cabral de Melo Neto

por Marco Carvalho
Walter Porto

No livro de ensaios que o imortal Antonio Carlos Secchin reedita para celebrar o centenário de João Cabral de Melo Neto, chama atenção um inédito que discute a progressiva desavença dele com outro dos nossos maiores poetas: Carlos Drummond de Andrade.

O texto conta que Drummond se referia ironicamente a “Uma Faca Só Lâmina”, um dos poemas mais conhecidos de Cabral, como “uma faca salame”. Também passou para a frente, de modo ostensivo, um exemplar com dedicatória de “Museu de Tudo”, livro cabralino de 1975.

Pouco se sabe sobre as razões da rusga, que nunca foi admitida em público. Mas é revelador que os dois poetas tenham trocado 61 correspondências de 1940 a 1957 e, entre esse ano e a morte de Drummond, três décadas depois, apenas uma —que nem teve seu recebimento comprovado.

Leia mais em Folha de São Paulo

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!