Pobreza extrema já atinge 80% dos venezuelanos - Plataforma Media

Pobreza extrema já atinge 80% dos venezuelanos

28 milhões de venezuelanos são pobres e 90% vivem em pobreza extrema, segundo dados do Inquérito sobre as Condições de Vida da Venezuela (Encovi). Esta é a radiografia mais rigorosa das condições de vida no país desde que o governo de Nicolás Maduro deixou de publicar estatísticas

A Venezuela é o país mais pobre da América Latina e o segundo mais desigual depois do Brasil. Isto segundo o estudo académico publicado na edição de hoje do jornal El País, inquérito esse baseado em 10 mil entrevistas.

“A Venezuela nunca teve níveis de pobreza como os que temos, nem no século XX nem no século XXI, por isso não temos que sair do contexto latino-americano e, mais concretamente, do sul-americano, para por em perspetiva onde nos situamos”, afirma Luis Pedro España, investigador da Universidade Católica Andrés Bello, (Ucab), coordenador do estudo.

96% da população venezuelana (28 milhões de cidadãos) são pobres e, entre eles, 80% vive em pobreza extrema. Ou seja, significa que não têm dinheiro suficiente para comprar os alimentos básicos.

O estudo refere ainda um novo indicador, a pobreza de consumo. Significa que 68% dos venezuelanos ingerem menos de 2000 calorias diárias.

30% das crianças menores de cinco anos (639 mil menores) sofre de desnutrição crónica ou de altura baixa para a idade.

Segundo o El País, quando se juntam as variáveis de instabilidade política, PIB e pobreza extrema, a Venezuela aparece em segundo lugar numa lista de 12 países,. Uma lista encabeçada pela Nigéria e que termina no Irão, e onde também se encontram estados africanos como o Chade, Congo e Zimbabué.

Related posts
Lifestyle

Alimentos para crianças têm açúcares ou sal adicionados

Grande BaíaMacau

Estudo revela que metade dos residentes quer trabalhar em Macau

PortugalSociedade

Três em cada dez raparigas sentem-se discriminadas só por serem mulheres

MundoSociedade

Rastreios de VIH pode aumentar infeções por décadas

Assine nossa Newsletter