Fiéis moçambicanos aconselhados a evitarem curandeiros e profetas

Moçambicanos aconselhados a evitarem curandeiros e supostos profetas em casos de Covid-19

O Conselho Cristão de Moçambique (CCM), coligação de igrejas cristãs, apelou hoje aos moçambicanos para evitarem curandeiros e supostos profetas. Nomeadamente, em caso de sintomas do novo coronavírus, optando pelas unidades de saúde e combatendo crenças tradicionais enraizadas na população.

“Sabemos que a nossa tradição é primeiro ir ao curandeiro ou ao profeta. Neste caso, o nosso apelo é: vão à unidade de saúde”, afirmou Felicidade Cherindza, secretária-geral do CCM, em declarações à emissora pública Rádio Moçambique.

Cherindza, contudo, assinalou que não há solução para a pandemia da covid-19 fora dos hospitais, recordando que não existe vacina contra a doença.

“Ir ao curandeiro ou ao profeta não vai ajudar”, enfatizou.

A secretária-geral do CCM avançou que as confissões religiosas moçambicanas estão a preparar-se para que as celebrações juntando fieis regressem em condições de assegurar a prevenção da covid-19.

“Cada uma das confissões religiosas terá de criar condições para que os cultos decorram com o necessário distanciamento social, desinfeção e higienização dos seus membros”, destacou Felicidade Cherindza.

Aquela responsável disse que as confissões religiosas vão indicar equipas entre os seus membros que vão monitorizar o cumprimento das medidas de prevenção do novo coronavírus.

Os líderes religiosos moçambicanos encontraram-se recentemente com o Presidente da República, Filipe Nyusi, e ainda com responsáveis do Ministério da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos. O encontro visou discutirem a retoma de cultos coletivos no âmbito da suavização das medidas do estado de emergência para prevenção do novo coronavírus,

Moçambique tem um cumulativo de 1.071 casos, mantendo oito óbitos.

A pandemia de covid-19, refira-se, já provocou mais de 545 mil mortos e infetou mais de 11,9 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Este é um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Related posts
CulturaSociedade

CNN despede três funcionários que foram trabalhar sem estarem vacinados

MundoSociedade

Covid-19: Ultrapassado marco de 200 milhões de casos em todo mundo

MacauPolítica

Pessoas a dormir na rua não trazem má imagem a Macau, diz Ho Iat Seng

MacauSociedade

Mais de um terço da população de Macau já foi testada

Assine nossa Newsletter