Pedro Lima foi nadador olímpico por Angola. O ator e atleta deixou carta antes de morrer - Plataforma Media

Pedro Lima foi nadador olímpico por Angola. O ator e atleta deixou carta antes de morrer

Pedro Lima, 49 anos, foi encontrado esta manhã sem vida na Praia do Abano, no Guincho. Além de ator, foi nadador e representou Angola nos Jogos Olímpicos de Seul, em 1988, e nos Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992, lembrou a Federação de Natação, lamentando a morte

O ator Pedro Lima, figura de primeira linha da televisão e do teatro em Portugal, foi encontrado morto cerca das 10.00 de hoje na praia do Abano, em Cascais, segundo fonte da Autoridade Marítima. O carro estava no acesso à praia, com os pertences do ator no interior. Pedro Lima, que era muito conhecido pelas novelas da TVI, deixou uma carta escrita antes de desaparecer, o que terá levado os amigos a suspeitarem de suicídio. Deixa cinco filhos,

A faceta de desportista de Pedro Lima era menos conhecida mas não menos notável. Nascido em Luanda,  Pedro Lima foi nadador e representou Angola nos Jogos Olímpicos de Seul, em 1988, e nos Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992, como lembrou a Federação de Natação na sua página de Facebook expressando “sentidas condolências à família”.

O Sporting usou a sua página oficial para manifestar “pesar” pela morte do ator, que descreve como “um fervoroso sócio” do clube e “presença habitual no estádio José Alvalade”, lembrando que foi atleta de natação dos ‘leões’.

A Federação Portuguesa de Râguebi também lamentou a morte do ator, de 49 anos, pai de João Lima, internacional português da modalidade, endereçando as condolências à família.

A Polícia Judiciária está a investigar as circunstâncias da morte do ator.

Este artigo está disponível em: English

Artigos relacionados
AngolaEconomia

Trabalhar em Angola fica mais caro mas empresas portuguesas podem pagar menos imposto

AngolaPolítica

Sócrates nega encontros com Manuel Vicente, o ex-vice Presidente angolano

AngolaLusofonia

“Portugal é o nosso pai”, diz General da FLEC no terreno

AngolaPortugal

Já é mais caro viver em Lisboa do que em Luanda

Assine nossa Newsletter