Islâmicos na linha da frente no apoio aos refugiados de Cabo Delgado - Plataforma Media

Islâmicos na linha da frente no apoio aos refugiados de Cabo Delgado

Perante a grande crise humanitária provocada pelos ataques terroristas, a Comunidade Islâmica de Moçambique (CIMO) mobilizou meios e esforços para ajudar as populações que fugiram das suas aldeias. Em três anos de ataques armados há 250.000 deslocados da província de Cabo Delgado

São avós, pais, filhos e netos muitas vezes a dormirem ao relento, vulneráveis a doenças e até à pandemia da Covid-19, como o Plataforma já noticiou, e vulneráveis à fome. 250 mil deslocados espalhados em várias localidades da cidade de Pemba, segundo avançou Abdul Rashid, líder da CIMO, ao Plataforma, depois de obter estes dados do governador da província de Cabo Delgado.

Com os esforços da Comunidade Islâmica de Moçambique, e devido a uma parceria da CIMO com a Comunidade Muçulmana de Maputo (CMM) foi possível angariar até ao momento cerca de 200 toneladas de farinhas e diversos produtos alimentares destinados aos refugiados de Cabo Delgado, segundo comunicado da CIMO. Estima-se a distribuição de cerca de 9.000 kits para o mesmo número de famílias.

A CIMO já vinha a distribuir produtos alimentares na cidade e província de Nampula, nas províncias de Cabo Delgado e Niassa, acima de 65 toneladas no total. E continua a distribuir, fruto das doações dos empresários de Nampula.

O Governador da Província de Cabo Delgado solicitou à CIMO para encaminhar parte dos kits para a população da Ilha do Ibo, nomeadamente para a localidade de Arimba e posto administrativo de Quirimba nos distritos de Quissanga e Ibo, tendo credenciado os delegados da comunidade e disponibilizado um barco a motor e dois barcos à vela, onde se carregaram cerca de 636 kits.

Há quase 6 milhões de muçulmanos em Moçambique

O Islão é a religião oficial de aproximadamente 20% da população total de Moçambique. Em quase 30 milhões de moçambicanos, há cerca de seis milhões de muçulmanos. Abdul Rashid Ismail, o líder da CIMO, estima, segundo declarações públicas suas, que existam cerca de 65% de praticantes da religião muçulmana em Moçambique, mas a percentagem sobe para 80% na Ilha de Moçambique e 90% em Niassa e chega a ser superior noutras localidades no norte do país, nomeadamente na província de Cabo Delgado.

A grande maioria é sunita, embora alguns xiitas e ismaelitas também estejam registados. Os muçulmanos são principalmente nativos moçambicanos mas também cidadãos da descendência indiana e paquistanesa e um número muito pequeno de imigrantes do Norte de África e do Médio Oriente.

Este artigo está disponível em: English

Related posts
MoçambiqueMundo

Serviços de saúde em Moçambique recusam grávidas em fuga

LusofoniaMoçambique

Galp aponta paz como condição para investimentos em Moçambique

MoçambiquePolítica

Milicianos matam dois supostos insurgentes

MundoPolítica

Canadá vai passar a receber e integrar refugiados norte-coreanos

Assine nossa Newsletter