Desemprego pesou apenas 5,3% na despesa da Segurança Social em 2019 - Plataforma Media

Desemprego pesou apenas 5,3% na despesa da Segurança Social em 2019

Foi o valor mais baixo desde o final da crise financeira. Mas neste ano a pandemia já fez disparar subsídios. Em abril, subiam 17%.

O peso dos gastos com subsídios de desemprego ficou no ano passado reduzido a 5,3% do total da despesa da Segurança Social, praticamente metade do que a perda de emprego representava nas contas de 2014, ano final da crise financeira em Portugal e o primeiro para o qual há análise do Conselho das Finanças Públicas sobre a evolução orçamental da Segurança Social. Há seis anos, a perda de emprego consumia praticamente um décimo dos gastos, nos 9,7%.

A melhoria do mercado de trabalho no último ano permitiu que os gastos com subsídios de desemprego ficassem em 1188 milhões de euros, numa descida de 3,7% e a valer quase metade dos 2238 milhões de euros de despesa de 2014. Foram, aliás, as únicas prestações com um contributo de descida na evolução dos gastos da Segurança Social, cuja despesa efetiva cresceu menos do que antecipava o Orçamento do Estado de 2019, subindo 5,3% para um total de 25,8 mil milhões de euros.

Leia mais em Dinheiro Vivo

Artigos relacionados
EconomiaPortugal

Uma em cada três grandes empresas quer despedir

Portugal

Desemprego em Portugal dispara quase 15% em outubro e soma mais 8% em novembro

BrasilSociedade

Desemprego no Brasil bate novo recorde e atinge 14 milhões

BrasilSociedade

Desemprego bate novo recorde e chega a 14,6% no Brasil

Assine nossa Newsletter