Polícia angolana viu "interesse público" em divulgar que juiz violou cerca sanitária - Plataforma Media

Polícia angolana viu “interesse público” em divulgar que juiz violou cerca sanitária

A polícia angolana respondeu à Associação dos Juízes de Angola, que repudia a divulgação do nome do seu filiado que violou a cerca sanitária, argumentando com o “interesse público”

“É natural, compreensível, que esse protesto seja feito, mas deve-se compreender que ninguém estará acima da lei, todos os cidadãos independentemente da sua qualidade devem respeito à lei e em estado de emergência vigora uma lei de emergência”, afirmou o porta-voz do Ministério do Interior, Waldemar José.

Segundo o também porta-voz das Forças de Defesa e Segurança, durante o estado de emergência, cuja segunda prorrogação termina em 10 de maio, “há toda a legitimidade para que o decreto do estado de emergência funcione e todos devem respeitar as disposições nele previsto”.

Na semana passada, Waldemar José, em conferência de imprensa, anunciou nomes de várias figuras do Estado angolano que “violaram a cerca sanitária”, nomeadamente de um ex-ministro, um juiz em funções e de uma deputada.

No entanto, em defesa do seu filiado, a Associação dos Juízes de Angola “repudiou com veemência” a divulgação do nome do juiz e as circunstâncias da sua retenção, considerando que a medida representa “um atentado à função judicial e ao direto à privacidade do magistrado”.

Lusa – Angola

Artigos relacionados
AngolaSociedade

Sindicato dos médicos angolanos lamenta postura da polícia contra jornalistas em Luanda

AngolaEconomia

Angola avalia deixar de gastar por ano 83,5 milhões de euros em instituições internacionais

AngolaPolítica

Novo Arquivo Nacional angolano garante conservação e longevidade do acervo

AngolaEconomia

Governo angolano prevê corte de impostos em 2021

Assine nossa Newsletter