Feira de Cantão estreia edição online - Plataforma Media

Feira de Cantão estreia edição online

O Conselho de Estado anunciou também que vai lançar uma série de zonas-piloto para comércio online transfronteiriço e apoiar a indústria de produção para ajudar a enfrentar o impacto da epidemia e estabilizar o comércio e o investimento internacionais.

A Feira de Cantão foi criada em 1957 e acontece duas vezes por ano, sendo já a feira chinesa mais antiga, a de maior dimensão e a que conta com a maior variedade de produtos e regiões participantes.

O principal foco da feira é a exportação. A província chegou a representar metade das exportações totais do país. Nunca falhou um ano desde a primeira edição. Para este ano, depois do eclodir da pandemia, a indústria estava na expectativa sobre a realização do evento.

Depois do comércio

Desde o início do surto, segundo dados divulgados pela China Convention and Exhibition Society (CCES), estima-se que 3.500 exposições e exibições em todo o país tenham sido afetados entre fevereiro e abril. No conjunto, envolviam uma área total de exibição de 50 milhões de metros e uma receita superior a 200 mil milhões de RMB. O adiamento ou cancelamento destes eventos implicou a paragem de toda a indústria e lançou novos desafios às empresas que dependem destes acontecimentos para novos negócios.

A situação pandémica obrigou a apertadas restrições no fluxo de pessoas e de serviços de logística e, como “Fábrica do Mundo”, a China está altamente integrada nesta cadeia de produção mundial. À medida que o vírus continua a propagar-se a nível global, um grande número de encomendas internacionais foram adiadas ou canceladas. Dados fornecidos pelos serviços Aduaneiros Chineses esta semana mostram que a balança comercial no primeiro trimestre deste ano atingiu os 6,57 biliões de RMB, menos 6,7 por cento do que em igual período de 2019. As exportações fixaram-se nos 3,33 biliões, uma descida de 11,4 por cento no período.

No que diz respeito às empresas, segundo a Cifnews, especializada em comércio internacional, mais de 93 por cento das que estão envolvidas em comércio internacional viram as encomendas a diminuir mensalmente ao longo do último ano. Entre estas, mais de metade (55 por cento) sofreram uma descida superior a 50 cento, com os mercados europeu e norte-americano a serem os principais afetados. Os dados mostram também que o fluxo monetário de 71 por cento das empresas de comércio internacional não é suficiente para três meses, e em 18 por cento das empresas este problema já não permite uma atividade normal das mesmas.

Algumas destas empresas começaram a vender a nível interno produtos destinados ao mercado externo. Existe um número considerável de empresas a fabricar produtos, como roupa e malas, para exportação, que estão a encontrar dificuldades nas vendas para o mercado interno. Esta dificuldade não só afeta o fluxo monetário das empresas, com também todo o preço de mercado destes produtos.

Empresas online

Ren Hongbin, ministro-adjunto do Comércio e Li Xinggan, diretor-geral do Departamento de Comércio Internacional, partilharam uma análise detalhada da situação atual da Feira de Cantão.

A feira irá incluir três zonas: uma plataforma de exibição e contacto entre empresas, uma zona de comércio online e um serviço de vídeo em direto com marketing e promoção. Com um foco em plataformas B2B e algumas B2C, irá encorajar os participantes a exibirem os produtos neste evento online.

Para criar uma plataforma online comercial vão acontecer, em simultâneo com a feira, outras atividades, divididas em duas partes: na primeira será criada uma zona de teste para comércio online internacional, promovendo uma série de marcas nesta área. Na segunda serão selecionadas uma série de plataformas comerciais online que salientem as características B2B da feira.

A parte mais especial desta edição é o serviço de transmissão em direto de publicidade. Haverá diferentes canais e categorias para que cada participante crie a respetiva transmissão em direto, 24 horas por dia, durante 10 dias, sem limites de tempo ou espaço.

Efeitos

Desde 2003, durante o surto de SARS, que a Feira de Cantão tem algumas partes da exposição disponíveis online. Dados disponíveis indicam que desde então o volume de transações feitas através deste método representa apenas um por cento de toda o certame.

Segundo o jornal “Southern Metropolis Daily”, vários eventos manifestam incerteza face ao efeito destes certames em modelo online. Peritos da indústria sugerem que para grandes compras internacionais é necessário visitar as exposições pessoalmente, vendo os produtos disponíveis e fazendo constantes comparações entre vários fornecedores. Estas são compras de milhões e por isso não são tão simples como as decisões do dia-a-dia. As compras diárias podem facilmente ser feitas online, mas para as empresas é diferente, assinalam.

Related posts
ChinaEconomia

Comércio e Investimento vão bater novos recordes pós-pandemia

BrasilChina

China é quem mais vende para o Brasil

ChinaLifestyle

Do vinho à cortiça, empresários chineses apostam em produtos típicos portugueses

ChinaPortugal

Xiaomi quer criar rede de 22 Lojas em Portugal

Assine nossa Newsletter