Vendas online no primeiro trimestre ultrapassam 1 bilião de yuans

por Arsenio Reis

O mercado das vendas pela Internet mantém uma tendência de crescimento estável, segundo os dados do Ministério do Comércio, relativos ao comércio online, no primeiro trimestre deste ano.

Os dados do Ministério do Comércio mostram que, no primeiro trimestre de 2017, o total das vendas online da China alcançou 1,4 biliões de yuans, um aumento homólogo de 32,1 por cento e uma taxa de crescimento 4,3 por cento superior à do mesmo período do ano passado. O mercado das vendas online mantém uma tendência de crescimento estável.

Vendas online lideram o setor do retalho

Segundo o Ministério do Comércio, o comércio online está atualmente a liderar o setor do retalho. As vendas online de mercadorias físicas atingiram 12,4 por cento do total das vendas de bens de consumo, a taxa de crescimento aumentou 15,8 por cento em termos homólogos, mantendo-se acima dos 25 por cento pelo quarto trimestre consecutivo e reforçando ainda mais a função do consumo. No contexto de desaceleração das vendas de bens de consumo no primeiro trimestre, as vendas online demonstraram uma tendência oposta, tornando-se uma importante força para expandir e promover o consumo e para cultivar um novo formato e modelo de vendas.

Consumo de serviços cresce rapidamente

Ao mesmo tempo, o ritmo do crescimento do consumo está a acelerar. Olhando para a composição do consumo, os feriados estimularam o turismo, as saídas para restaurantes e outros serviços de lazer, e no primeiro trimestre de 2017 as vendas online de produtos turísticos e de refeições takeaway aumentaram 64 por cento e 163 por cento, respetivamente, em termos homólogos. Olhando para a composição dos produtos, o consumo de aparelhos inteligentes e artigos de gama alta continua a crescer rapidamente, com as marcas de roupa feminina de gama média e alta a liderar o crescimento no setor do vestuário, e produtos como robôs inteligentes, óculos inteligentes ou Segways a liderar as vendas de artigos digitais. Olhando para a oferta, as empresas seguiram a tendência de modernização e consumo verde, esforçando-se por melhorar a oferta de produtos e serviços e obtendo resultados positivos.

Geração da década de 80 e 90 torna-se o principal motor 

Analisando os grupos de consumidores, a geração da década de 80 e 90 representa mais de 65 por cento dos compradores online, tendo-se tornado no principal motor do consumo pela Internet e promovendo o seu desenvolvimento no sentido de uma maior personalização e qualidade.

Cidades de terceiro escalão e zonas rurais crescem 

No que diz respeito ao desenvolvimento regional, a região centro-oeste beneficia das vantagens do desenvolvimento tardio. No primeiro trimestre de 2017, as regiões do noroeste e sudoeste assistiram a um crescimento de mais de 40 por cento em termos homólogos nas vendas online. O crescimento dos compradores online nas cidades de terceiro e quarto escalão e nas zonas rurais superou claramente o das cidades de primeiro e segundo escalão.

Regulamentação é necessária

De acordo com o Ministério do Comércio, o comércio eletrónico promove um novo crescimento do consumo, mas, ao mesmo tempo, precisa de ser regulamentado. No contexto do abrandamento do ritmo de crescimento do número de internautas, com a ajuda do rápido desenvolvimento dos métodos inovadores de marketing como os comerciantes do WeChat, as personalidades da Internet e os grupos de compras nas plataformas sociais, o comércio eletrónico está a transitar gradualmente da obtenção de tráfego através da publicidade e das buscas para o tráfego das redes sociais. A dimensão do mercado dos comerciantes do WeChat está a expandir rapidamente, tornando-se uma importante força motriz a estimular o consumo e o emprego flexível. Contudo, surgem também gradualmente problemas relativos aos funcionários, qualidade dos produtos e serviços de pós-venda, limitando o desenvolvimento saudável e contínuo da indústria e exigindo uma rápida orientação e regulamentação.

Integração online-offline continua em expansão

Para além disto, a integração online-offline continua em expansã, e os gigantes destas áreas estão a estabelecer cooperações estratégicas. No primeiro trimestre, vários gigantes dos setores online e offline alcançaram cooperações estratégicas, conseguindo integração e complementaridade em domínios como a estatística, cadeias de fornecimento, pagamentos, logística, lojas, enquadramentos e produtos. Desta forma é promovida a criação de um novo formato de vendas. O formato das lojas de conveniência tornou-se no novo ponto de focagem para a estrutura offline. Com a ajuda das tecnologias da Internet e das aplicações móveis, as lojas de conveniência esperam tornar-se num ponto de entrada crucial para a integração online-offline de vários segmentos como empresas de alimentação, cozinhas centrais e cadeias de frio.

Pode também interessar

Contate-nos

Meio de comunicação social generalista, com foco na relação entre os Países de Língua Portuguesa e a China

Plataforma Studio

Newsletter

Subscreva a Newsletter Plataforma para se manter a par de tudo!