Xin Lian - QUEDA DO EURO AFETA CHINESES EM ESPANHA - Plataforma Media

Xin Lian – QUEDA DO EURO AFETA CHINESES EM ESPANHA

 

Segundo o jornal francês Nouvelles d’Europe, no dia 23 de janeiro o valor do euro desceu pela primeira vez abaixo dos 7 yuans, o que causou alegria a alguns e preocupação a outros. No que diz respeito aos negócios, a importação de produtos chineses para Espanha e a exportação de produtos espanhóis para a China revelam duas situações totalmente diferentes. E qual será o impacto para os estudantes ou famílias chinesas residentes em Espanha?

Segundo o site noticioso sino-espanhol Ouhua, recentemente, devido a fatores como a descida do preço do petróleo, a contínua debilidade da economia europeia tem levado à desvalorização do euro. De facto, depois de atingir um ponto alto de 8,7 yuans em maio de 2014, o euro entrou em queda contínua, atingindo em janeiro deste ano o ponto mais baixo desde há nove anos quando se encontrava nos 7,1.

Muitos empresários chineses partilharam entre o seu círculo de amigos screenshots das taxas de câmbio do euro em relação ao yuan, juntando-lhes comentários tais como: “Preparem-se todos para fazer as malas e ir embora!”, ou “Quando é que o euro vai parar de cair?!” ou ainda “Se o euro descer abaixo dos 6 yuans eu volto logo para a China”.

Como se pode verificar, a descida do euro teve um grande impacto para os chineses em Espanha, principalmente para os empresários. Segundo o Sr. Zhao, que trabalha na zona de armazéns na compra e distribuição de bolsas, quando encomendou na China uma grande quantidade de mercadoria há mais de dois meses atrás a taxa do euro estava perto dos 8 yuans, e quando a mercadoria estava prestes a chegar, o euro desceu abaixo dos 7 yuans. O Sr. Zhao ri-se amargamente, dizendo: “Já nem sei que preço irei dar àquela mercadoria. Se conseguir pelo menos não ter prejuízo já fico contente.”

Também na área dos negócios, os chineses que se dedicam à exportação de produtos espanhóis puderam no entanto lucrar com a descida do euro. Segundo Awen, diretor de uma empresa de vinho, recentemente houve muitos clientes que ouvindo as notícias da descida do euro decidiram aproveitar a oportunidade antes que os valores voltem a subir, apressando-se na realização de encomendas e comprando grandes quantidades de vinho e outros produtos típicos espanhóis. “Antes disto, devido ao efeito do combate à corrupção na China, as vendas de vinho tinham diminuído muito” disse Awen “Agora com a descida do euro finalmente houve uma inversão na tendência de diminuição de vendas.”

Para além disso, segundo várias agências de viagem que recebem turistas chineses, verificaram-se recentemente muitos pedidos de informação sobre viagens a Espanha durante o período do Ano Novo Chinês, representando um aumento de 20% em relação à mesma época no ano passado. O diretor de uma das agências de viagem comentou: “Agora o yuan vale mais, por isso ficou mais barato viajar fora da China. Espero com isto conseguir atrair mais turistas chineses para Espanha.”

Muitos comerciantes que fazem compras em Espanha também aproveitaram a oportunidade aumentando em muito o volume de negócios, o que criou nos principais centros económicos da Europa um fenómeno de “frenesim de compras” por parte dos chineses, que querem aproveitar as “pechinchas” antes que os vendedores subam os preços.

Para além do comércio, a descida do euro também afeta os estudantes estrangeiros. Segundo as contas de Xiao Bing, uma estudante que se prepara para iniciar em setembro uma pós-graduação em Espanha, juntando os 3000€ de propinas e 1000€ de gastos mensais, os 10 meses em Espanha caso termine o curso em Julho do próximo ano teriam ficado por 104.000 yuans segundo a taxa de 1 para 8 de há três meses atrás, e segundo a nova taxa ficarão por 94.000 yuans, uma redução de 10%!

Então, que impacto terá a descida do valor do euro para os emigrantes chineses em Espanha? Lao Li é o típico homem de meia-idade da “geração sanduiche”, a geração que tem de sustentar não só os filhos como também os pais. Há 5 anos, Lao Li foi para Espanha trabalhar, onde tentou poupar o máximo que podia enviando todos os meses a maioria do seu salário no restaurante para a sua família. Face à contínua desvalorização do euro, Lao Li conta com exasperação que quando há 5 anos se viu forçado a deixar o país e a família para ir trabalhar para um lugar desconhecido fê-lo para poder sustentar a família e lhes dar uma vida melhor. Agora, com um filho prestes a entrar na escola primária, Lao Li sente que o grande fardo que carrega se tornou ainda mais pesado.

No entanto nem todos os chineses são afetados pela situação. Xiao Chao é o típico chinês de segunda geração, cuja família abriu um restaurante em Espanha e cujos clientes são maioritariamente espanhóis. Ele diz: “A minha família está quase toda em Espanha, já não tenho muitos familiares na China. O nosso negócio aqui não tem a ver com taxas de câmbio. Gastamos em euros e recebemos em euros, por isso não sentimos o impacto da descida da moeda.”

Contudo, a situação de Xiao Chao representa apenas uma pequena parte da comunidade chinesa. Em Espanha, a maior parte dos trabalhadores chineses têm negócios que dependem dos produtos chineses baratos ou têm familiares na China que precisam de sustentar. Desta forma, a maior parte dos chineses recebeu a descida do valor do euro com alguma dessatisfação.

Toda a moeda tem duas faces, e a descida do euro representa a alegria de alguns e a preocupação de outros. No meio desta situação de desvalorização da moeda, muitos empresários chineses vêm-se forçados a reavaliar o direcionamento dos seus negócios. O Sr. Zhao mencionado anteriormente, por exemplo, retirou disto tudo uma lição: não irá voltar a fazer encomendas tão grandes e irá preferir fazer várias pequenas encomendas de forma a reduzir riscos futuros. Para além disso, muitos chineses aperceberam-se que os seus investimentos eram demasiado concentrados e que devem readaptar os seus negócios.

A lição que esta situação traz aos empresários chineses é a de que não devem apenas focar a sua atenção nos negócios e devem seguir atentamente a situação internacional e os desenvolvimentos políticos atuais. Apenas sendo capazes de identificar futuros riscos poderão assegurar a estabilidade dos seus negócios.

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Assine nossa Newsletter